Vou brigar até o fim, diz Lula à Folha

0

Não vou me matar, nem vou fugir do Brasil, vou brigar até o fim, diz Lula

Em entrevista à Folha de SP, o ex-presidente Lula informou que o não discutirá candidatura alternativa à presidência, porque seria “dar o fato [a sua condenação]como consumado”. “Eu vou brigar até ganhar. E só vou aventar a possibilidade de outra candidatura quando for confirmado definitivamente que não sou candidato”.

Sobre Ciro Gomes, o petista disse “eu não ando vendo o que o Ciro está falando porque ele anda falando muita bobagem”. Lula afirma que novamente a eleição será disputada entre petistas e tucanos e que ninguém se elegerá presidente pela direita, sem apoio do PSDB, e pela esquerda, sem apoio do PT.  “Ciro, ou vai pra direita, ou não pode brigar com o PT”, sentenciou.

A repórter Mônica Bergamo ressaltou que a maioria das pessoas não acredita que o petista será candidato porque ele foi condenado em segunda instância [pela lei de Ficha Limpa, será cassado no TSE, Tribunal Superior Eleitoral]  e, esgotado o prazo das avaliações dos embargos, poderá ser preso. A defesa do ex-presidente pediu habeas corpus no STF – Supremo Tribunal Federal – para evitar a prisão do petista.

Lula diz na entrevista que acredita nas instituições e na justiça, portanto, “tem certeza que será absolvido e não será preso”. Entretanto, ao mesmo tempo ele denuncia setores do judiciário e do MP de serem partes de uma trama com a imprensa e os norte-americanos para lhe tirar do processo eleitoral. “Eu acredito que essas pessoas [Moro e desembargadores] deveriam ser exoneradas , a bem do serviço público”.

Para o ex-presidente, Sérgio Moro está a serviço do Estado norte-americano, que estaria de olho no petróleo brasileiro “hoje eu estou convencido de que os americanos estão por trás de tudo o que está acontecendo na Petrobrás. Porque interessa pra eles o fim da lei que regula o petróleo, o fim da lei que regula a partilha”.

Mônica Bergamo questionou “mas o senhor acha que Sérgio Moro e os Procuradores da Lava-Jato vão aos EUA e se reúnem com um mentor?”  O ex-presidente respondeu: “Eu acho. Agora mesmo o Sérgio Moro está lá pra receber prêmio da Câmara de Comércio Brasil-EUA. Vai ficar 14 dias. Eu já recebi prêmios. Você vai em um dia e volta no mesmo dia. Não tenho provas, mas estou insinuando, tal a proximidade do Ministério Público com a Secretaria de Justiça dos EUA”.

“Deixa eu te falar: você está lidando com um homem muito tranqüilo e que sabe que está sendo traçado para ele. Desde o impeachment eu dizia: eles não vão tirar a Dilma e dois anos depois deixar o Lula voltar gloriosamente nos braços do povo. Era preciso impedir Lula”, arrematou o petista.

Está claro por essa entrevista que o PT vive em função de Lula, e o ex-presidente esgotará os recursos políticos e jurídicos para se manter no páreo, “não vou me matar, nem fugir do país, vou brigar até o fim”, disparou.

Entrevista completa aqui

Jornalista e formado em ciência política pela UNESP, André Henrique já atuou como docente, assessor parlamentar e consultor político, mas é no jornalismo que o sociólogo se realiza profissionalmente, especialmente na editoria de política.

Comente no Facebook