Alunos se fantasiam de faxineira e vendedor ambulante em festa ‘se nada der certo’

0

A festa temática gerou polêmica na Internet depois que alunos escolheram profissões que não pedem formação superior para ilustrar o que farão “se nada der certo”.

Por Rafael Bruza

Um dos alunos da escola, fantasiado de vendedor ambulante / Foto – Reprodução (IENH)

Alunos do último ano do Ensino Médio da Instituição Evangélica de Novo Hamburgo (IENH), em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, fizeram uma festa com o tema “se nada der certo” na vida profissional, dia 17 de maio, e geraram polêmica nas redes sociais por se vestirem de faxineira, vendedor ambulante, cozinheiro, mecânico, atendente do Carrefourt, entregador de jornal morador de rua, entre outras fantasias.

As fotos foram divulgadas na Internet pela própria instituição.

Alunas fantasiadas de cozinheira e faxineira / Foto – Reprodução
Aluno fantasiado de morador de rua / Foto – Reprodução
Aluna fantasiada de atendente do Carrefourt / Foto – Reprodução
Aluno fantasiado de churrasqueiro / Foto – Reprodução
Aluno fantasiado de ladrão / Foto – Reprodução

O tema ganhou repercussão nesta segunda-feira (05), depois que milhares de internautas criticaram os alunos e a escola, apontando-os como cidadãos bem de vida que menosprezaram as profissões selecionadas.

Outros internautas se manifestaram negativamente na página da Instituição Evangélica de Novo Hamburgo (IENH)  no Facebook.

Em nota, a Instituição Evangélica de Novo Hamburgo (IENH) afirmou que “em momento algum teve a intenção de discriminar determinadas profissões, até porque muitas delas fazem parte do próprio quadro administrativo e são essenciais para o bom funcionamento da Instituição”.

“A atividade “Se nada der certo” faz parte do projeto Dia D, prática comum nas escolas da região e grande Porto Alegre, que tem como objetivo promover momentos de integração e descontração entre os formandos do Ensino Médio, tendo em vista o encerramento da etapa que culmina com a busca da aprovação no vestibular e ingresso no ensino superior. O objetivo principal dessa atividade foi trabalhar o cenário de NÃO APROVAÇÃO NO VESTIBULAR, de forma alguma foi fazer referência ao “não dar certo na vida”, diz a nota.

 

Outro caso

Em outubro de 2015, o Colégio Marista Champagnat, de Porto Alegre (RS), também gerou polêmica nas redes sociais ao realizar uma festa com a mesma proposta.

O caso foi lembrado – e até confundido – com esse novo episódio no Rio Grande do Sul.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook