Após visita de Holiday, diretor de escola recebe punição por faixa ‘Fora Temer’

1

Cleber Peixoto Pereira tem 3 dias para apresentar defesa antes que a suspensão de um dia seja aplicada por conta da faixa que se opõe a Reforma Trabalhista e a Reforma da Previdência.

Por Rafael Bruza

Captura do vídeo de Fernando Holiday e o documento que notifica a possível suspensão do diretor da Escola Municipal Hélio Tavares

O diretor da Escola Municipal Doutor Hélio Tavares, Cleber Peixoto Pereira, foi notificado pela Diretoria Regional de Ensino de São Miguel, localizada na zona leste de São Paulo, de que será penalizado com 1 dia de suspensão por conta de uma faixa contra o Governo de Michel Temer, exposta na fachada da escola. A penalização foi notificada na terça-feira (16), um dia depois que o vereador Fernando Holiday (DEM) publicou um vídeo “denunciando” uma suposta “doutrinação” aos alunos.

O documento que anuncia a penalização ao diretor está assinado pela diretora Regional de Educação, Maria Aparecida de Souza, e afirma que o diretor tem até a sexta-feira (19) para apresentar sua defesa antes de receber a penalização de um dia.

Segundo o arquivo, Cleber Peixoto Pereira violou artigos que determinam deveres do funcionário municipal e o decoro da função pública ao “ter permitido a colocação e a permanência da faixa em protesto à reforma da Previdência ‘NÃO A REFORMA TRABALHISTA, NÃO AO DESMONTE DA PREVIDÊNCIA E #FORA TEMER’, na fachada frontal da EMEF Doutor Hélio Tavares, da qual é Diretor de Escola, conforme relatado pelo Vereador Fernando Holiday em vídeo veiculado nas redes sociais, no dia 15/05/2017”.

O documento que anuncia suspensão de 1 dia para o diretor da escola, caso não apresente defesa

O vídeo do vereador do Democratas – partido aliado de Michel Temer no Governo Federal – foi feito diante da escola na segunda-feira (15).

A faixa contra as reformas de Michel Temer foi colocada durante uma manifestação, segundo o post do vereador.

“Falei com a direção do colégio que informou que a faixa teria sido colocada durante uma ‘manifestação’ e que encontraram dificuldades para removê-la, mas em todo o caso entrariam em contato com a prestadora de serviços para que realizassem a retirada. Ainda assim, enviarei um ofício para a Secretaria de Educação cobrando providências”, diz Fernando Holiday no post.

Em outra publicação, Holiday comemorou a retirada da faixa da fachada da escola como uma “vitória”.

A assessoria de imprensa de Fernando Holiday, a Diretoria Regional de Educação de São Miguel e a Secretaria Municipal de Educação foram procuradas pela reportagem, mas não enviaram resposta até o fechamento desta matéria.

As visitas de Holiday

As visitas de Fernando Holiday a escolas municipais, feitas para “fiscalizar” o conteúdo ministrado pelos professores nas salas de aula, já geraram discordância na Prefeitura de São Paulo comandada por João Doria, que é aliado do Movimento Brasil Livre (MBL).

Em abril, Doria afirmou que o vereador Fernando Holiday (DEM) deve entrar em contato com a Prefeitura ou com a Secretaria da Educação antes de divulgar os vídeos das visitas que tem feito a escolas municipais para verificar supostas “doutrinações ideológicas”.

A declaração foi feita após problemas políticos entre o vereador e o secretário municipal de Educação, Alexandre Schneider, que criticou o que chamou de “intimidação” promovida pelo parlamentar.

“O que gerou o estresse não foi o fato da visita, foi a forma que isso foi comunicado. E nesse sentido eu também pedi ao vereador que, nas próximas visitas, em vez de compartilhar nas redes sociais, possa primeiro solicitar ao secretário ou ao prefeito medidas cautelares preventivas em relação ao tema que o preocupa. Isso vale para todos os demais vereadores”, explicou Doria.

Proximidade com Temer

O democratas (DEM) é um partido que compõe a base aliada de Michel Temer no Governo Federal.

Em setembro de 2016, a coluna de Monica Bergamo na Folha de S. Paulo informou que Temer chamou movimentos como o MBL para “pensar como tornar suas reformas mais palatáveis” – palatável significa “saboroso; cujo gosto é agradável ao paladar; de sabor aprazível”, segundo o Dicionário Online de Português.

Um dos líderes do MBL, chamado Renan Santos, se reuniu com Moreira Franco para discutir a aliança na época.

Segundo integrante do governo, a ideia, com Moreira à frente, era aproveitar a “expertise de mobilização, a sensibilidade, o fato de o MBL estar sentindo o pulso das ruas” para que eles ajudem a formular uma política de comunicação das propostas, inclusive nas redes sociais.

Ainda em setembro, Renan afirmou que não acha “má ideia” o MBL ajudar a administração federal, “se for no sentido de apoiar as reformas e desde que elas não sejam abrandadas pela pressão de alguns grupos”.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook