Ato do Vem Pra Rua queima bonecos de ministros do STF

0

“Ministros do Supremo foram julgados em Porto Alegre”, disse o movimento em seu perfil de Twitter nacional.

Por Rafael Bruza

Cidadãos presentes no ato do Vem Pra Rua nesta terça-feira (03) em Porto Alegre (RS) queimaram bonecos que representam os onze ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), onde o Habeas Corpus do Lula é julgado. Vestidos com camisetas da Seleção brasileira, os manifestantes protestavam a favor da prisão do ex-presidente e aplaudiram a cena, que ocorreu no Moinhos de Vento.

Cada boneco tinha uma placa que os nomeava como ministros da Suprema Corte.

Cada boneco tinha uma placa que os nomeava como ministros da Suprema Corte. Antes que os bonecos fossem queimados, os responsáveis colocaram áudio do ex-presidente Lula gravado em 2016 em que ele diz que o “o Supremo está acovardado”. Logo soa uma música de rock e começa a queima dos bonecos.

Não há informações sobre os grupos específicos que queimaram os bonecos, mas o movimento Vem Pra Rua, responsável pela convocação do protesto, compartilhou as imagens em seu perfil de Twitter nacional.

“Ministros do Supremo foram julgados em Porto Alegre”, diz a publicação do grupo, que tem 700 retweets e 1,7 mil curtidas até às 14h desta quarta-feira (04).

Também no Twitter, a pré-candidata à Presidência da República, Manuela D’Ávila (PCdoB), criticou a cena.

“Ministros sendo queimados em ato ‘contra a corrupção’, ontem, em POA. O ódio q abre portas ao fascismo não é o caminho pro Brasil superar a crise. Queremos respeito à Constituição! Foi construída c/ muita luta pelos brasileiros, depois de mais de duas décadas de ditadura militar!

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook