Doria foi o maior doador de sua própria campanha, que teve déficit

1

O vencedor da eleição de SP teve o segundo maior déficit de campanha, atrás apenas do atual prefeito, Fernando Haddad, que está pedindo dinheiro para pagar R$ 8 milhões de dívida.

Informação – Por Rafael Bruza

O prefeito de São Paulo eleito em primeiro turno, João Doria (PSDB) / Foto - Reprodução
O prefeito de São Paulo eleito em primeiro turno, João Doria (PSDB) / Foto – Reprodução

João Doria (PSDB) foi o maior doador de sua própria campanha para a disputa pela Prefeitura de Sâo Paulo, onde foi eleito em 1º turno. O tucano doou R$ 2,9 milhões, segundo o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas fechou a disputa pela Prefeitura com déficit de R$ 6,2 milhões, por ter gastado R$ 14,1 milhões e arrecadado apenas R$ 7,9 milhões (confira os dados no TSE).

O segundo maior doador de campanha de Doria foi o diretório municipal de seu partido, o PSDB (R$ R$ 2 milhões). Em terceiro aparecem o empresário Renato Feder, sócio da Multilaser, e Domingo Nelson Martins: ambos doaram R$ 120 mil.

O quarto maior doador é o empresário libanês,Elie Horn, que doou R$ 100 mil à campanha de Doria.

O ranking de doadores da campanha de João Doria (PSDB)
O ranking de doadores da campanha de João Doria (PSDB)

Antes das eleições, o tucano declarou patrimônio de R$ 179 milhões (que soma capital de empresas) e disse que não se importaria em colocar dinheiro do próprio bolso na campanha eleitoral.

Doria teve o segundo maior déficit entre os principais candidatos da disputa do início de outubro. Apenas Fernando Haddad (PT) teve rombo maior que o tucano: R$ 8 milhões (arrecadou R$ 6,7 milhões, mas gastou R$ 14,6 milhões).

Essa semana, o petista fez um vídeo divulgado em seu perfil de Facebook para pedir doações com o intuito de cobrir seu déficit de campanha. Ele ficou em segundo colocado nas eleições, mas não conseguiu levar a disputa ao 2º turno.

Outros candidatos

Marta Suplicy (PMDB), Celso Russomano (PRB) e Luiza Erundina gastaram menos do que arrecadaram, segundo os dados públicos do TSE (confira aqui a declaração de todos os candidatos de São Paulo).

Marta arrecadou R$5,9 milhões e gastou R$5,8 milhões na campanha, com superávit de R$ 91,9 mil.

Russomano arrecadou R$ 6,2 milhões e gastou R$ 3,9 milhões. Teve superávit de R$ 2,3 milhões.

E  Erundina  arrecadou R$105 mil, gastou R$ 37,7 mil e teve superávit de R$ 67,4 mil.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Formou uma parceria com um programador e lançou o Indepedente. Acredita que a mudança no mundo está dentro de cada um e trabalha para que seus leitores tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook