Espanha destroçada: encontram o corpo sem vida de Gabriel, que estava desaparecido

0

A namorada do pai do menino foi detida quando transportava o cadáver no porta-malas.

(Madri) Adrián Argudo

O pequeno Gabriel, de oito anos, foi encontrado morto

O menino Gabriel, de oito anos de idade, deixou toda Espanha com o coração na boca desde seu desaparecimento no dia 27 de fevereiro, em Almería (Andaluzia), ao sair da casa de sua avó para ir a de seu primo – a cerca de 100 metros dali. As esperanças de que o pequeno voltasse com vida se mantiveram acessas até domingo 11 de março, quando a notícia da fatialidade foi confirmada. Gabriel foi assassinado e a Espanha se comoveu de dor. Ana Julia Quezada, atual parceira de Ángel Cruz, pai do menino, foi detida quando transportava o cadáver do menor de idade no porta-malas de seu carro.

Ela foi fotografada tirando o corpo do menino de um poço para escondê-lo em outro lugar. Foi ela mesma que, dia 3 de março, foi vista com uma camiseta branca numa zona que já tinha sido analisada pelas equipes de busca. O exame de DNA confirmou que o corpo é de Gabriel. A camiseta estava seca, apesar das chuvas terem protagonizados os últimos dias. Os alarmes saltaram e as investigações se centraram em Ana Julia.

A suspeita se encontra na Superintendência da Guarda Civil espanhola de Almería, onde várias pessoas a chamaram de “assassina”.

Falta entender o motivo do crime e descobrir se Ana Julia agiu sozinha ou não. As últimas notícias da Guarda Civil indicam que a suspeita poderia ter recebido ajuda.

Esta segunda-feira (12) conhecemos mais dados depois da autópsia. Segundo os resultados, o pequeno foi estrangulado no dia de sua desaparição. Patricia Ramirez, mãe do Gabriel, pediu que a raiva que circula na sociedade se transforme em bondade. Patrícia é um grande exemplo de coração infinito.

Peixinhos que inundaram as redes

As redes sociais se envolveram completamente com o caso do Gabriel. Inicialmente, internautas desejaram sua volta e conservaram a chama da esperança acesa. Depois, com mensagens de pêsame, desejaram apoio e carinho ao menino e a sua família, especialmente a Patrícia e Ángel, os pais do menino.

Muitas mensagens estavam acompanhadas de peixinhos, animais que o menino adorava. Ele dizia que queria ser biólogo marinho. A pior notícia golpeou um país que agora chora a perda desse anjinho.

Que você descanse em paz, peixinho.

Formado em jornalismo e pós-graduado em Comunicação pela Universidad Carlos III de Madrid. Apresentador de televisão na Espanha e editor-chefe no jornal regional de Madri Nuevo Cronica. Correspondente do Independente na Espanha. Serviçal do jornalismo. Professor. Torcedor do Atético de Madrid.

Facebook Twitter 

Comente no Facebook