Felipe Neto critica a Globo e discute com herdeiro da emissora

0

Felipe Neto questionou a audiência da emissora e a prática do Bônus Volume, enquanto Paulo Marinho, neto do criador da TV Globo, Roberto Marinho, saiu em defesa do conglomerado em que trabalha.

Por Rafael Bruza

O diretor daGlobosat e neto de Roberto Mairnho (criador da TV Globo), Paulo Marinho, e o youtuber Felipe Neto / Fotos – Reprodução (Arquivo pessoal)

Nesta segunda-feira (25), o youtuber Felipe Neto criticou a Rede Globo e a política do Bônus Volume (BV) – benefício concedido por veículos de mídia a agências de publicidade em função da quantidade de anúncios realizados anualmente. A crítica foi feita durante uma palestra do youtuber na conferência de influenciadores digitais da agência Youpix.

“Não faz sentido que a audiência de um canal caia e a receita de publicidade aumente. Por que isso acontece? A explicação é uma só: o BV (Bônus Volume)”, disse o youtuber no início de sua fala. “Todo mundo conhece a relação da Globo com o Ibope. A audiência do Game of Thrones diz que X milhões de pessoas assistiram o programa. E qual é a audiência da novela? ‘Quatorze pontos no Ibope’. Mas que são 14 pontos? Tem pontuação do Ibope de São Paulo, do Rio de Janeiro, mas quantas pessoas assistiram a novela?”.

O Bônus Volume é feito desde o início dos anos 60 no Brasil e foi regularizado em 2010. São benefícios (descontos, tempo de propaganda, espaço ou reaplicações) concedidos pelos veículos de comunicação à agência de publicidade, conforme a quantidade de anúncios contratados.

Nessa lógica, quanto mais uma agência de publicidade leva anúncios de seus clientes a um veículo de mídia específico, maiores bonificações recebe em troca. Críticos afirmam que o Bônus Volume favorece a concentração da imprensa no país ao incentivar agências de publicidade a contratarem os mesmos meios de comunicação para seus clientes, com intuito de receber bonificações (leia sobre isto “aqui” e “aqui”).

Na palestra, Felipe Neto também afirmou que o Bônus Volume faz com que agências de publicidade lucrem mais com o veículo de comunicação do que com seus clientes – empresas anunciantes.

“A questão é como a audiência desce e a receita de publicidade sobe. Não há mais justificativa em audiência, não há justificativa sólida e concreta que não seja BV, relacionamento e mandar o cara para França para assistir Cannes pago com dinheiro da agencia, então desculpe, essa é uma ferida que ninguém toca. Ninguém levanta e fala: ‘está errado cobrar BV’. Está errado que a receita das maiores agências de publicidade do Brasil venha principalmente do veículo. Como é que a maior receita de uma grande agência é um veículo como a Globo? Não é a Coca nem o McDonald. A Globo dá a maior receita com kickback. Com dinheiro devolvido do cliente. Todo sistema publicitário está completamente errado e não tem para onde correr”, disse Felipe Neto.

As declarações de Felipe Neto geraram discordância entre outros participantes da palestra, como Daniela Mignani, diretora do GNT (Grupo Globo), e o neto de Roberto Marinho, Paulo Marinho, que estava na plateia e pediu o microfone para responder o youtuber.

“Não é verdade. Quero falar. A audiência não está caindo. Dentro do universo da televisão, não está caindo. Você tem uma divisão com o digital que obviamente vem crescendo. Se você olhar dados de televisão, a TV Globo e a Globosat estão com audiências históricas nos últimos dois anos. Acho que você colocou uma coisa na conta da Rede Globo que é algo estrutural de mercado. Não é a única que possui plano de incentivo”, disse o diretor dos canais Globosat. “Outra coisa: o modelo de medição do Game of Thrones é igualzinho ao da TV Globo e de qualquer outra rede de televisão. Você usa um instituto de pesquisa que vai medir tua audiência na televisão. É o mesmo sistema usado nos Estados Unidos e em qualquer lugar. Funciona por amostragem. Por ela você vê quantas pessoas estão assistindo. E só para deixar de informação, são 100 milhões de pessoas que passam pela TV Globo por dia, número que o Youtube demora um mês em chegar”.

Após a fala de Paulo Marinho, Felipe Neto questionou se o executivo acredita nesses números. Após a pergunta, Paulo Marinho se levantou do assento para pegar o avião de volta ao Rio de Janeiro.

O executivo estava na conferência da Youpix a pedido da emissora, segundo uma fonte da produção do evento.

Confira trechos da palestra em áudio:

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook