Desempenho de Fernando Haddad coloca uma pulga atrás da orelha do Ciro Gomes

0

Por André Henrique

Análises publicadas no Independente antecipam cenários novamente. Álvaro Dias cresce em pesquisa do Poder 360. Geraldo Alckmin está parado na mesma praça e no mesmo banco. Fernando Haddad aparece bem e coloca uma pulga atrás da orelha de Ciro Gomes. Jair Bolsonaro lidera. 

Escrevi no Independente na quinta-feira (30) que a greve dos caminhoneiros enfraqueceu ainda mais o governo Temer a ponto de o mesmo espantar possíveis aliados, abrindo, fatalmente, um vácuo de poder no centro.

Com a derrocada do governo Temer e a paralisia do PSDB, partidos médios de centro voltam suas atenções a candidaturas alternativas.

Por isso alertei no mesmo texto: não subestimem Álvaro Dias. Escrevi que Álvaro Dias poderia se beneficiar desse processo, tendo em vista que ele tem mais condições que o Alckmin de se colocar como contraponto ao governo Temer e como novidade. Dias não fez parte do governo Temer, o PSDB sim.

“Ah, mas ele é um político tradicional”. Ok. Marina também é. Bolsonaro, idem. Mas como estão afastados dos partidos principais (PSDB-PT-PMDB), a narrativa do “sou contra tudo que está aí’ cola. Não me culpem por isso.

Não acredito que com apenas isso Dias será presidente, óbvio, entretanto, no momento derradeiro, na formação das chapas, pelas razões já descritas, ele pode isolar Alckmin e Marina ao centro e ganhar espaço para crescer.

Quatro dias depois do meu texto (goo.gl/Rost43) a pesquisa do poder 360 divulgada nesta terça (5) mostrou Dias empatado com Marina, Alckmin e Haddad, com seis pontos a menos que o segundo colocado, Ciro Gomes. Isto é, alargou-se o vácuo ao centro.

Analiso o fato neste vídeo: goo.gl/tLf8Gm

Outro ponto importante da pesquisa é o desempenho do Haddad. Apareceu à frente da Marina Silva em dois cenários, com 08%, quatro a menos que Ciro Gomes. Marina caiu. Alckmin está parado na mesma praça, no mesmo banco…

O PT joga nos bastidores com a possibilidade de Lula transferir seu capital politico a um petista. E tem quem critique isso. A crítica é absurda. Se o PT pode transferir o capital de seu maior líder para um petista, por que o fará para Ciro Gomes ou para quem quer que seja?

Só haveria uma possibilidade de o PT rifar um petista, se o mesmo for muito mal nas pesquisas. No entanto, Haddad, com 08 pontos, liga um sinal de “opa”!…

O desempenho do ex-prefeito de SP em uma pesquisa ampla e por telefone como a feita pelo Poder 360 dá corpo a seu nome e coloca uma pulga de meio metro nas orelhas do Ciro Gomes.

Registrei.

Jornalista e formado em ciência política pela UNESP, André Henrique já atuou como docente, assessor parlamentar e consultor político, mas é no jornalismo que o sociólogo se realiza profissionalmente, especialmente na editoria de política.

Comente no Facebook