Fernando Haddad nega formação de frente de centro-esquerda com Ciro Gomes

0

O petista se reuniu com o Ciro pela manhã, mas respondeu reportagem da Folha argumentando que os envolvidos não discutiram criação de frente de centro-esquerda.

Por Rafael Bruza

O candidato à Presidência da República pelo PDT, Ciro Gomes, e o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT) em evento de 2016

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), usou seu perfil no Twitter nesta terça-feira (24) para responder reportagem do jornal Folha de S. Paulo que aponta uma reunião feita com o pré-candidato à Presidência da República, Ciro Gomes (PDT) e a criação de uma “frente de centro-esquerda” para as eleições de outubro.

“Simplesmente não é verdade que eu e Ciro discutimos candidaturas ou formação de frente. Como a própria matéria revela, atualizamos a discussão iniciada em janeiro sobre a situação política do país”, disse o ex-prefeito.

Ciro Gomes também negou a discussão de formação de chapa em entrevista na Uninove, argumentando que “não é possível falar em chapa no momento”.

Haddad se encontrou com Ciro Gomes, Delfim Netto e Luiz Carlos Bresser-Pereira pela manhã, em reunião articulada pelo professor José Márcio Rego, da FGV.

A reportagem da Folha de S. Paulo intitulada “Ciro e Haddad se reúnem e falam sobre frente de centro-esquerda” afirmou que “a concordância deles quanto ao que fazer foi completa”.

“Concordaram, por exemplo, em não convidar Fernando Henrique para o próximo encontro do quarteto, marcado para daqui a um mês”, diz a reportagem, que cogita inclusão de Joaquim Barbosa (PSB) nesta suposta aliança.

Após a reunião de janeiro que Haddad mencionou no tuíte, o Portal UOL (Grupo Folha) noticiou que os envolvidos haviam discutido a formação de frente de centro-esquerda par as eleições deste ano.

Em março, no entanto, Ciro Gomes também questionou as informações do UOL que trataram sobre estas supostas alianças com Marina Silva (Rede) e Fernando Haddad (PT).

O pedetista negou que tenha formado alianças com ambos e argumentou que pretende buscar alianças apenas no futuro.

“Desconsideram o que tenho dito de verdade. Não é hora ainda para alianças. Repare bem: todos nós estamos conversando, todo mundo com todo mundo, como se fosse um carro que tivesse que ficar sozinho neste momento para ajustar suspensão, direção, pneu… Então é tempo de procurar uma boa posição no grid de largada. No dia de largada que começa o jogo de equipe”, disse Ciro. “Então as pessoas perguntam: ‘o que você acha da Marina’? Acho uma pessoa honrada, muito querida, fui colega dela, tenho muita estima por ela, mas como posso querer a Marina de vice se ela é maior que eu? Vamos com calma”.

“Eu nunca procurei o Haddad (ex-prefeito de São Paulo, do PT) para ser meu vice. Perguntam: o que você acha do Haddad como vice? Eu acho um ‘dream team’ (time dos sonhos), que posso dizer? Mas nunca esteve em minha cogitação que o Haddad pudesse ser meu vice. O PT, na minha concepção, lançará candidato e é natural que o faça”, disse o pedetista em março, na Câmara de Comércio Americana.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook