Governador petista nega que secretários liberados votarão a favor de Temer

1

Rui Costa (PT) classificou como “fofoca” a informação do Estadão, Folha e UOL de que liberaria secretários com mandato de deputado para votarem a favor de Michel Temer.

Por Rafael Bruza

O governador da Bahia, Rui Costa (PT) / Foto – Reprodução

Atualização: Fernando Torres (PSD) e Josias Gomes (PT) votaram a favor da denúncia da PGR nesta quarta-feira (02).

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), afirmou nesta quarta-feira (02) os secretários de Desenvolvimento Urbano, Fernando Torres (PSD), e de Relações Institucionais, Josias Gomes (PT) não votarão a favor de Michel Temer na Câmara. Ele respondeu informações da mídia – Estadão, Folha e UOL – classificando notícias como “fofoca” da imprensa.

“Eu não liberei ninguém. Eles pediram para serem exonerados. Eles pediram, não posso impedir”, explicou Rui Costa (PT) à Rádio Metrópole. “Me disseram que não queriam ficar de fora da votação e é um direito deles, foram eleitos deputados. Eles me pediram e eu disse: ‘tudo bem’. A bancada do PT votou decisão para votar pela admissibilidade do processo e Josias vai seguir a bancada do PT. As pessoas que defendem as reformas de Temer e golpe fica querendo se esconder e fazendo fofoca na imprensa”, rebateu.

Costa não revelou como o secretário de Desenvolvimento Urbano, Fernando Torres (PSD) irá votar.

Mas, em entrevista ao UOL, Torres afirmou que pretende se abster da votação.

“Vou abster-me na votação. Não sou a favor nem de Michel Temer nem de Rodrigo Maia. Sou a favor de eleições diretas para presidente”, justificou o secretário de Desenvolvimento Urbano da Bahia. Torres disse não ter nada contra o presidente da Câmara dos Deputados. “Acho até um bom presidente da Câmara, mas não tem condições de ser presidente da República agora”, declarou.

A abstenção na votação desta quarta-feira (02) na prática beneficia Michel Temer – a oposição precisa de 342 votos para dar seguimento à denúncia da Procudarodia-Geral da República, enquanto Temer tem interesse em votos favoráveis a si e abstenções.

Josias Gomes (PT), a sua vez, diz que não vê problemas em Temer seguir na presidência sem ser investigado. “A investigação pode ser feita quando acabar o mandato dele”, diz Gomes, para quem a única saída para a crise política seria a antecipação das eleições para a Presidência.

Costa respondeu matérias

Nesta terça-feira (01), os jornais Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo – além do UOL, que pertence ao Grupo Folha – publicaram matérias dizendo que Rui Costa havia liberado os secretários que têm mandato de deputado vigente para votarem a favor de Michel Temer no plenário da Câmara.

O conteúdo foi reproduzido por veículos da blogosfera progressista, como o Diário Centro do Mundo (DCM) e o Brasil 247.

Segundo os jornais paulistas, aliados do governador da Bahia afirmaram que o afastamento do presidente do cargo não interessa a Costa, pois daria a Presidência da República ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), primeiro na linha de sucessão, fortalecendo o prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM), o ACM Neto, aliado de Maia, que deve disputar o governo da Bahia em 2018 contra o atual governador.

“Maia na Presidência é o fazer ressurgir o DEM do Nordeste, que é uma direita raivosa que representa o que existe de mais atrasado”, diz Gomes.

A Folha informa que o governador liberou os deputados federais dos partidos da sua base que também fazem parte da base de Temer, como PP, PR e PSD, a votar a favor de Temer.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook