Movimento pela condenação de Lula lidera no twitter e convoca simpatizantes para irem às ruas

0

Hastag favorável à condenação de Lula lidera twitter

A hastag  está em primeiro lugar, no twitter.

O movimento VemPraRua está a alimentar a tag e a divulgar um ato “em defesa da justiça”, que ocorrerá, nesta terça (23), em várias cidades do país, a partir das 18 horas. Link para o evento: aqui

O Vem Pra Rua defende a condenação do ex-presidente Lula, em segunda instância, pelo TRF-4, no dia 24 de janeiro de 2018. Diz a página do movimento no facebook, “a condenação será o maior símbolo do fim da impunidade no Brasil, atestando que a Justiça no país, de fato, funciona igualmente para todos, independentemente de cargo, influência, poder ou dinheiro.”

No twitter

Os críticos publicam materiais, divulgados pela imprensa, que seriam provas de que Lula é o dono do Triplex, para rebater a narrativa de que o petista foi condenado em primeira instância por Sérgio Moro sem provas.

Dentre os materiais estão fotos de Lula no triplex e diálogos entre executivos da empreiteira OAS durante obras de reformas no apartamento e no sítio.

O site O Antagonista criou uma série em que divulga as supostas provas, os internautas seguem o fluxo de seus influenciadores e alimentam a hastag, # , com esses conteúdos.

Neste diálogo, os executivos dizem que a reforma está pronta, e que a madame (dona Marisa Letícia, esposa de Lula e já falecida) deveria ser avisada para conferir os resultados da obra. Em outro momento, eles citam Fábio, filho de Lula.

Outra imagem que corre a hastag é a da visita do ex-presidente Lula com o dono da OAS Léo Pinheiro ao tríplex.

Contraponto

O jornalista Reinaldo Azevedo – o maior crítico de Lula, nos tempos em que o PT governou o país – afirma que Sérgio Moro condenou Lula sem provas e com base em elementos circunstanciais-  os testemunhos e a presença de Lula, na reforma, são alguns desses elementos.

O jornalista afirma que o artigo 239, do código penal, permite que o juiz condene alguém com base em provas indiciárias (um conjunto de circunstâncias que levam a concluir algo, por indução), mas este mecanismo perde a validade em caso de manifesta prova em sentido contrário – no caso de Lula, um documento mostrando que o triplex é da OAS.

Para além das questões jurídicas, as torcidas se organizam nas redes sociais e nas ruas. Lideranças do PT e de movimentos sociais de esquerda chegam a Porto Alegre para acompanhar o julgamento e defender o direito de Lula ser candidato em 2018 e pressionar os juízes a reformarem a sentença de Sérgio Moro.

Jornalista e formado em ciência política pela UNESP, André Henrique já atuou como docente, assessor parlamentar e consultor político, mas é no jornalismo que o sociólogo se realiza profissionalmente, especialmente na editoria de política.

Comente no Facebook