Maiores devedoras: instituições financeiras têm débitos de pelo menos R$ 53 bilhões

0

Segundo levantamento, dívidas regulares e irregulares de 24 mil instituições financeiras chegam a R$ 124 bilhões, sem considerar os débitos de empresas que não são instituições financeiras.

Por Rafael Bruza

Procuradoria-Geral da Fazenda, ligada ao Ministério da Fazenda do Governo Federal / Foto – Reprodução (Ministério da Fazenda)

No Brasil, 54 instituições financeiras devem cerca de R$ 53,1 bilhões à União, em débitos irregulares – com cobranças em andamento, sem garantia ou penhora de bens nas execuções fiscais na Justiça. Esse valor considera apenas as instituições que devem mais de R$ 100 milhões à União, segundo o levantamento. Os dados foram obtidos e divulgados no início de julho pelo Sindicato dos Procuradores Nacionais da Fazenda (Simprofaz), através da Lei de Acesso à Informação, e mostram dívidas previdenciárias, não previdenciárias e para com o Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS).

Os dados do governo são expostos em um documento de 1.300 páginas, que foi publicado pelo Simprofaz. O arquivo apresenta a situação de mais de 24 mil instituições financeiras com débitos regulares – que não foram negociados nem garantidos – e irregulares que, somados, chegam a R$ 124 bilhões.

Com isto, as instituições financeiras são as empresas que mais devem no Brasil – confira abaixo a lista das 54 instituições financeiras que mais devem à União.

Entre as maiores devedoras destacam a Unimed Paulistana, que tem dívida de R$ 1,8 bilhão, uma empresa chamada Betafac, especializada em assessoria e fomento ao setor mercantil, que possui débito irregular de R$ 3,2 bilhões e a Carital Brasil – a antiga Parmalat -, que possui o maior débito do levantamento do Simprofaz: R$ 27,1 bilhões .

Entre outras empresas conhecidas pelo público, encontra-se o banco Cruzeiro do Sul (massa falida), que deve R$ 980,4 milhões, a Fundação Sabesp de Seguridade Social (SABESPREV)– débito de R$ 33, 1 milhões -, além de companhias ligadas ao banco Santander, que devem R$ 231, 9 milhões no total e outras vinculadas com o banco Itaú, que devem R$ 158,6 milhões no total.

Procurada pelo Independente, a assessoria do Itaú Unibanco declarou que a instituição financeira “cumpre fielmente a legislação tributária, recolhendo todos os tributos devidos”.

Débitos antigos

Algumas destas dívidas são antigas e o Governo desistiu de recuperá-las, segundo matéria do jornal Gazeta do Povo publicada em agosto de 2016.

Este é o caso do débito de R$ 27,1 bilhões da Carital Brasil, a antiga Parmalat Brasil.

“Há uma lista de credores tão grande (para receber) que é difícil imaginar que um dia conseguiremos receber algo”, afirmou em 2016, ao jornal Gazeta do Povo, Anelize Almeida, gestora da Dívida Ativa da União.

A esperança da Procuradoria-Geral da Fazenda (PGF) é cobrar as dívidas de empresas ativas, em que os sócios são brasileiros e ainda vivos.

Este é o caso da Condor Factoring, empresa de fomento mercandil que deve R$ 4,4 bilhões e ainda existe como empresa.

Outras empresas devedoras

Além de instituições financeiras, outras listas divulgadas pelo Governo mostram os maiores devedores da União.

Em abril, o poder Executivo divulgou uma lista que mostra os “500 maiores devedores por natureza de receita não previdenciária”.

A campeã desta lista de devedoras é a Vale, que deve cerca de R$ 49,2 bilhões. Em segundo lugar está a Carital Brasil – antiga Parmalat -, que deve R$ 27 bilhões e encabeça a lista de instituições financeiras que possuem maiores débitos.

Em terceiro lugar está a Petrobras, que tem uma dívida de R$ 23,3 bilhões, em quarto, encontram-se as Indústrias de Papel R. Ramenzone, com débito de R$10,5 bilhões e, em quinto, aparece a Duagro AS Administrações e Participações, que deve 7,09 bilhões.

Estas são as cinco empresas que mais devem para a União:

1- Vale S.A – dívida de R$ 49.2 bilhões

2- Carital Brasil – dívida de R$ 27,1 bilhões

3- Petrobras – dívida de R$ 23,3 bilhões

4- Industrias de Papel R Ramenzoni – dívida de R$ 10,5 bilhões

5- Duagro Administrações e Participações – dívida de R$ 7,09 bilhões

As 54 instituições que mais devem

Segue abaixo a lista que mostra exclusivamente as instituições financeiras que possuem os maiores débitos da União, segundo os dados divulgados pelo Sindicato dos Procuradores Nacionais da Fazenda (Simprofaz):

1- Carital Brasil (antiga Parmalat) – dívida de R$ 27,1 bilhões

2- Condor factoring (fomento mercantil) – dívida de R$ 4,4 bilhões

3- Betafac (fomento mercantil) ) – dívida de R$ 3,2 bilhões

4- Zirconia – dívida de R$ 2,5 bilhões

5- Negocial  – dívida de R$ 2,05 bilhões

6- Unimed Paulistana– dívida de R$ 1,8 bilhões

7- Banco Cruzeiro do Sul – dívida de R$ 980,4 milhões

8- Padrão SA – dívida de R$ 699,9 milhões

9- Quantia distribuidora – dívida de R$ 678,2 milhões

10- Engefin (fomento mercantil) – dívida de R$ 532,9 milhões

11- Pauliceia Assessoria e análise de crédito – dívida de R$ 503,08 milhões

12- Triex – dívida de R$ 480,9 milhões

13- Cragnotti & Partners – dívida de R$ 385,06 milhões

14- Massa falida do Banco Pontual – dívida de R$ 383,07 milhões

15- Mattos Participações e Pesquisas- dívida de R$ 368,1 milhões

16- Euro distribuidora de títulos e valores – dívida de R$ 330,9 milhões

17- Lor S/A – dívida de R$ 308, 6 milhões

18- Perfil CCTM – dívida de R$ 305, 1 milhões

19- Fobos – dívida de R$ 301,1 milhões

20- Assessoria Financeira Lups – dívida de R$ 300, 02 milhões

21- Unimed Petrópolis (cooperativa de trabalho) – dívida de R$ 277,4 milhões

22- Zibert (fomento mercantil) – dívida de R$ 247,6 milhões

23- Banco Econômico S.A (banco comercial) – dívida de R$ 243,6 milhões

24- Marambaia Serviços e Investimentos – dívida de R$ 241,7 milhões

25- Banco Clássico AS – dívida de R$ 234,7 milhões

26- Mercante (distribuidora de títulos e valores mobiliários) – dívida de R$ 233,02 milhões

27- Medcall – dívida de R$ 212,9 milhões

28- Santander Corretora de Câmbios e Valores – dívida de R$ 181,1 milhões

29- House Participações – dívida de R$ 177,9 milhões

30- Interclinicas (planos de saúde) – dívida de R$ 170,7 milhões

31- Fuentes – dívida de R$ 162,3 milhões

32- RPM (administração de fundos) – dívida de R$ 157,4 milhões

33- Unimed Ribeirão Preto (cooperativa de trabalho) – dívida de R$ 152,4 milhões

34- Banco Rural (banco comercial) – dívida de R$ 152,4 milhões

35- Unimed Ribeirão Preto (cooperativa de trabalho) – dívida de R$ 133,9 milhões

36- Isoldi  – dívida de R$ 132,6 milhões

37- Banco Interior de São Paulo (banco comercial) – dívida de R$ 127,9 milhões

38- Silver Star – dívida de R$ 127,4 milhões

39- Alpes (corretora de câmbio, títulos e valores mobiliários) – dívida de R$ 126,8 milhões

40- Massa falida do Banco BVA (banco comercial) – dívida de R$ 126,2 milhões

41- Tov (corretora de títulos e valores mobiliários) – dívida de R$ 125,7 milhões

42- Economisa (companhias hipotecárias) – dívida de R$ 120,7 milhões

43- Plano de Assistência Médica Miller (planos de saúde) – dívida de R$ 120,6 milhões

44- Banco Itaubank – dívida de R$ 120,4 milhões

45- Bafema Participações e Investimentos – dívida de R$ 119,3 milhões

46- Banco Miuzinho do Brasil (banco comercial) – dívida de R$ 116,7 milhões

47- Massa falida da Potual Leasing (arrendamento mercantil) – dívida de R$ 115,4 milhões

48- Segmento Participações – dívida de R$ 112,8 milhões

49- Prosper Gestão de Recursos (administração de fundos) – dívida de R$ 108,5 milhões

50- Sosuelo Empreendimentos- dívida de R$ 107, 3 milhões

51- Aurora Participação e Administração – dívida de R$ 104, 2 milhões

52- Marka Empreendimentos e Participações – dívida de R$ 102,8 milhões

53- PRM Administração e Participações – dívida de R$ 102,1 milhões

54- Eletronor Investimentos e Participações – dívida de R$ 100,3 milhões

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook