MBL e Vem Pra Rua rechaçam ‘Fora Temer’ durante manifestações

0

Movimentos vão defender a Reforma da Previdência e Trabalhista nas manifestações do dia 26 de março e rechaçam participação de correntes de esquerda.

Informação – Por Rafael Bruza

O coordenador do MBL, Kim Kataguiri, durante manifestação / Foto – Reprodução

O Movimento Brasil Livre (MBL) e Vem Pra Rua não pretendem fortalecer gritos de “Fora Temer” nas manifestações marcadas para o dia 26 de março. Kim Kataguiri, coordenador nacional do MBL, afirma que existe divisão no movimento que apoiou o Impeachment de Dilma Rousseff e rechaça a participação de grupos de esquerda nas manifestações.

“Não vejo essa possibilidade, porque há uma divisão muito clara entre os movimentos que defenderam o impeachment, a favor de uma economia de mercado, e os que são contra o governo hoje. Acho difícil uma oposição de esquerda participar de uma manifestação em defesa da Lava Jato, que eles tanto criticam”, diz o coordenador do Movimento Brasil Livre (MBL) ao Estadão.

Parte do movimento defende políticas liberais do Governo Temer, como a PEC do teto de gastos, aprovada no final de 2016, ou as reformas da Previdência e Trabalhista de Michel Temer. Então o movimento como um todo evitará se posicionar contra o Governo.

O líder do Vem Pra Rua, Rogério Chequer, também afirma que o protesto não fará oposição ao Governo de Michel Temer.

“As manifestações não serão para detonar o governo Temer, mas contra a corrupção, a impunidade e em defesa da renovação da política velha”, afirma Chequer.

Ele afirma que a sociedade “não aguenta mais Lulas, Sarneys, Renans e Lobões”.

Medidas pró-Governo

Nas manifestações do dia 26 de março, MBL e Vem Pra Rua vão defender duas medidas favoráveis ao Governo: a Reforma Trabalhista e a Reforma Previdenciária, que são prioridade da base aliada de Temer em 2017.

Em setembro de 2016, o governo de Michel Temer chamou o MBL e “outros movimentos políticos” para tornar estas reformas mais “palatáveis” para a maioria da população, segundo coluna de Monica Bergamo na Folha de S. Paulo.

Não há informações sobre a eventual concretização ou fracasso desse apoio, mas a ideia era formular políticas de comunicação das propostas, inclusive nas redes sociais.

Na época, Renan Santos – um dos líderes do MBL -, se reuniu com Moreira Franco para debater o apoio. Um membro do governo afirmou à Folha que a ideia do Governo era aproveitar a “expertise de mobilização, a sensibilidade e o fato de o MBL estar sentindo o pulso das ruas”.

Renan Santos, a sua vez, afirmou que não achava “má ideia” o MBL ajudar a administração federal, “se for no sentido de apoiar as reformas e desde que elas não sejam abrandadas pela pressão de alguns grupos”.

Além do apoio as reformas de Temer, o MBL apoiará o fim do estatuto do desarmamento, fim do foro privilegiado, bom andamento da Operação Lava a Jato, manutenção da Polícia Militar e “fim das mamatas dos políticos e do judiciário”.

O Vem Pra Rua manifesta “apoio total a Lava a Jato”, fim do foro privilegiado, oposição a anistia de políticos e partidos, manutenção da prisão em segunda instância, oposição ao Fundo partidário e ao voto em lista fechada.

MBL partidário

O MBL teve cerca de 45 candidatos a vereador e um a prefeito nas eleições municipais de 2016, a maioria por partidos aliados de Michel Temer, como o PSDB, DEM ou o próprio PMDB. Também houve candidaturas feitas pelo NOVO, PEN, PHS, PP, PRB, PPS, PROS, PSB, PSC, PTB, PTN e Solidariedade.

Foram eleitos um prefeito e sete vereadores alinhados ao movimento.

Fernando Holiday é um dos líderes do movimento e se elegeu vereador em São Paulo pelo Democratas (DEM), que apoia Michel Temer em nível federal.

O movimento também elegeu o prefeito de Monte Sião (MG) José Pocai Junior, do PPS. Alguns membros do MBL também apoiaram a campanha de João Doria (PSDB) para Prefeitura de São Paulo.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook