Meirelles diz que ‘agenda modernizante’ será viável com Governo de mandato popular

0

O ex-ministro defendeu propostas de sua pré-candidatura à Presidência da República pelo MDB e sugeriu que a impopularidade impediu o Governo Temer de aprovar a Reforma da Previdência.

Por Rafael Bruza

Em evento na Câmara Americana de Comércio (Amcham) nesta segunda-feira (23), o ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (MDB), apresentou propostas de sua pré-candidatura à Presidência da República e declarou que medidas “modernizantes” para o país serão viáveis com eleição de um presidente com “mandato popular”.

“Minhas propostas estão claras, não só por tudo que fizemos nesses dois anos, como também pela lista de prioridades que apresentamos ao Congresso Nacional, além das demais medidas em andamento, como a simplificação tributária e a Reforma da Previdência”, disse ex-ministro, que deixou o Ministério da Fazenda no início do mês para se filiar ao MDB e disputar as eleições. “Acho que tudo isso será viável com um próximo presidente que tenha mandato popular, para de fato continuar com a plataforma modernizante do país”.

O Governo Temer desistiu da Reforma da Previdência no início do ano, após aprovação do decreto de intervenção federal que vigora no Estado do Rio de Janeiro – impedindo alterações na Constituição.

Apesar de sugerir que o Governo Temer não conseguiu aprovar a proposta por conta da impopularidade, Meirelles disse que o Governo Federal foi bem sucedido no mandato.

“Este governo teve uma taxa de aprovação de projetos oriundos do Executivo, no Congresso, que é das maiores da história. Foi uma aposta bem sucedida: aprovou a reforma Trabalhista, a terceirização, o teto de Gastos… Tudo isso foi uma linha de ação que, no fundo, transmite a ideia é que não se deve prestar atenção apenas à popularidade. Tem que se prestar atenção numa agenda modernizante de reforma do país”, ressaltou.

Com 1% de intenção de voto no Datafolha, ele comentou as pesquisas que encomendou antes de anunciar sua candidatura e declarou que a maioria dos cidadãos pretende eleger um presidente que tenha virtudes como “competência, seriedade e honestidade”.

“Eu acho que existe um potencial muito grande (para sua candidatura)” concluiu o ex-ministro.

Meirelles vem conversando com políticos como Flavio Rocha (PRB), dono da Riachuelo e também pré-candidato à Presidência da República, que na semana passada o apontou como “um bom vice”.

A candidatura do ex-ministro pelo MDB ainda depende da posição do presidente Michel Temer, que tem 2% de intenções de voto e cogita disputar a reeleição pelo partido.

Durante o evento, Meirelles também defendeu medidas como a criação de um plano nacional de inteligência para a área de segurança pública e uma “agenda de produtividade”, que teria intuito de facilitar a produção no país.

Na área social, o ex-ministro declarou que pretende “reforçar cada vez mais” o Bolsa Família, que é “fundamental”, segundo afirma. Após defender a política do BF, no entanto, ele ressaltou que “a melhor política social é a criação de emprego”.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook