Militares fotografam moradores e RG’s na zona oeste do Rio de Janeiro

0

Segundo o Comando Militar do Leste (CML), a atuação do soldados é “legal” e serve para checagem de antecedentes criminais.

Por Rafael Bruza

Cidadão e seu documento são fotografados por militar na zona oeste do RJ / Foto – Reprodução (Folha)

Soldados das Forças Armadas estão tirando fotos de cidadãos e seus documentos de identidade desde a madrugada desta sexta-feira (23) na Vila Kennedy, Vila Aliança e Coreia – todas localizadas na zona Oeste do Rio de Janeiro. Cerca de 3.200 militares cercaram a zona nesta operação conjunta com o Exército.

O canal de imprensa comunitária, Maré Vive, comentou a ação dos militares.

“Isso ai tem cara de fichamento. Cadastro. Sei lá. Como quiserem chamar. É um absurdo!! Eu queria ver se isso algum dia vai acontecer no Leblon, Ipanema, Flamengo, Laranjeiras, Barra… qualquer lugar que não a favela. Imagina. Ia aparecer logo um advogado, um filho de juiz, um STF de toga do caralho a quatro, um jornalista vendido, dizendo que isso é proibido, que tá atrapalhando a livre circulação do cidadão de bem.. que não tem motivo de fazer com todo mundo! Me poupem! E vão se fuder com a hipocrisia e comoção seletiva de vocês”, diz a página. “A intervenção é uma ação pensada pras favelas cariocas. A classe média ta ai fazendo textão de ditadura, tirando onda de sombra de medo, mas quem vai sofrer (e já tá sofrendo) somos nós. Pega a visão. Já começou faz tempo”.

Segundo o Comando Militar do Leste (CML), a ação dos soldados é “legal”.

“Trata-se de um procedimento feito regularmente, legal, cuja finalidade é agilizar a checagem de dados junto aos bancos de dados da Secretaria de Segurança”, afirmou o coronel Carlos Frederico Cinelli, chefe da comunicação social do CML.

“Uma vez enviada para o sistema da Polícia Civil, a foto é deletada”, conclui.

Cinelli ainda declarou que a checagem por fotos visa causar “menos transtorno” às pessoas.

“Caso não fosse feita assim, essa checagem demandaria muito mais tempo e transtorno ao cidadão.A checagem é feita quando há mandados de busca em aberto e consulta à ficha de antecedentes criminais”, declara.

O coronel disse que a medida é autorizada pelo decreto da Garantia de Lei e da Ordem (GLO), que, segundo ele, “faculta a realização de inspeções e revistas no âmbito de uma operação desta natureza”.

 

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook