Morre Louise Hay, especializada em ‘curar vidas’ através do poder pessoal

0

Autora do livro “Você Pode Curar sua Vida” propõe a cura de doenças físicas através da mudança de pensamentos e crenças sobre nós mesmos.

Por Rafael Bruza

A autora Luise Hay, que “transicionou” neste 30 de agosto de 2017 / Foto – Reprodução (Arquivo/Facebook)

Morreu nesta quarta-feira (30), aos 90 anos, a autora de livros de autoajuda, Louise Hay. Ela “fez a transição” por causas naturais e “pacificamente”, durante o sono, segundo o site dedicado à seu trabalho e figura. Ela também é fundadora da Hay House, que começou como pequeno empreendimento na sala de estar de sua casa e transformou-se em uma empresa editorial que vendeu milhões de livros e produtos em todo o mundo.

O carro-chefe de Louise Hay é o best-seller “Você Pode Curar sua Vida” – confira aqui a versão em PDF do livro -, que virou filme, é editado em mais de 30 países e vendeu mais de 50 milhões de cópias no mundo todo.

O livro sustenta que as crenças e ideias que as pessoas têm sobre si mesmo muitas vezes são as causas de problemas emocionais e doenças físicas.

Partindo desse princípio, segundo a linha da autora, toda pessoa têm o poder de curar suas enfermidades físicas e de transformar suas vidas para melhor, criando felicidade, alegria e prosperidade para si, através do amor próprio, da alteração de padrões de pensamento e da mudança na autoestima – a avaliação subjetiva que uma pessoa faz de si mesma e de sua vida.

Nessa lógica, se a pessoa costuma ter pensamentos negativos sobre si – como “não consigo fazer isso”, “sou pobre e carente” ou “tudo dá errado para mim” -, naturalmente cria uma realidade alinhada com estes pensamentos.

Mas essa pessoa também pode criar felicidade e prosperidade em sua vida escolhendo padrões de pensamento mais positivos e alinhados com seus desejos, como “eu consigo fazer isso”, “eu sou bom o suficiente e bem sucedido” e “tudo dá certo para mim”, por exemplo.

Ou seja: a mudança de pensamento promove mudanças na vida de cada um. Esse poder de escolher pensamentos e crenças transforma vidas e cura doenças, segundo a autora.

“Conhecer a Louise mudou a direção da minha vida”, disse Reid Tracy, presidente e CEO da Hay House, Inc.

“Sua paixão por servir os outros traduziu em tudo o que ela fazia. Simplesmente trabalhando ao lado dela, um contador analítico como eu transformou-se em alguém que tomou conhecimento do poder das afirmações e do amor próprio. Ser capaz de aprender com ela foi uma das maiores bençãos da minha vida. A beleza de Louise era que você não precisava trabalhar ao lado dela para aprender com ela, você sentiu que estava com ela com cada palavra que você lê ou ouviu”, disse Reid.

O trabalho de Louise Hay, portanto, consistia em conscientizar as pessoas sobre o poder interno delas e no uso desse poder como ferramenta para criar uma vida mais feliz, próspera e saudável.

Com tudo isso em mente, ela dizia que só “mostra o caminho” a todos, sugerindo que os sucessos e transformações são conquistas individuais de cada um – não dela.

Cura de doenças

Partindo do princípio de que as pessoas criam suas próprias realidades através de seus pensamentos e crenças, o livro “Você Pode Curar sua Vida” traz uma lista que relaciona doenças com pensamentos que “provavelmente” geraram esta enfermidade.

Estas são as doenças apontadas no início da lista e algumas de suas “causas prováveis”:

O início da lista de Louise Hay que mostra dezenas de doenças e suas prováveis causas psicossomáticas

 

O câncer, por exemplo, vem de uma “mágoa profunda”, um “ressentimento antigo”, um “grande segredo ou pesar comendo o eu”. O carregamento de “ódios” e o pensamento de desistência – “o que adianta?” – também são apontados como causas prováveis para a geração de um câncer.

Nessa lógica, Louise Hay afirma que as pessoas podem curar suas doenças – e suas vidas – alterando os padrões de pensamento que geraram a enfermidade.

No caso do câncer, ainda segundo a autora, a pessoa pode superar os pensamentos responsáveis pela enfermidade com pensamentos amorosos e de perdão.

Ao invés de viver a mágoa profunda e o ressentimento antigo, então, a pessoa pode melhorar sua saúde tendo pensamentos mais amorosos e alinhados com o perdão, como: “com amor perdôo e liberto todo o passado; escolho encher meu mundo de alegria e eu me amo e me aprovo”.

Ela mesma, Louise Hay, venceu um câncer gerado supostamente por conta de um estupro que sofreu aos cinco anos de idade.

A cura foi feita sem tratamentos tradicionais da medicina – apesar disto, autores e terapeutas alternativos à medicina tradicional recomendam que pacientes não abandonem seus tratamentos tradicionais durante o processo de cura.

Assim a autora relata este episódio de sua vida no livro “Cure seu Corpo”:

Anos atrás recebi um diagnóstico de câncer vaginal. Devido ao meu passado, que inclui um estupro aos cinco anos de idade e uma infância cheia de maus-tratos, não foi surpresa eu manifestar a terrível doença nessa parte do corpo. Como já era instrutora de cura mental há vários anos, tomei consciência de que me estava sendo dada a oportunidade de praticar e provar a verdade dos meus ensinamentos. Como qualquer um que fica sabendo que está com câncer, de início entrei em pânico absoluto, mas logo ele foi substituído pela convicção de que o processo de cura mental funcionava. Consciente de que o câncer é provocado por um profundo ressentimento, guardado por um longo tempo até ele praticamente começar a comer o corpo, eu soube que teria muito trabalho mental pela frente. Percebi que, se me submetesse a uma operação para me livrar da doença sem eliminar o padrão mental que a estava causando, o câncer voltaria. Quando esta ou qualquer outra doença reaparece, não é porque os médicos não “tiraram tudo”, mas sim porque o paciente não modificou seu modo de pensar e continua recriando o mesmo mal. Também sabia que, se fosse capaz de eliminar por completo o modelo mental que criara a condição chamada “câncer”, eu nem precisaria de ajuda profissional. Portanto, barganhei por mais tempo. Meu médico, a contragosto, me concedeu três meses, deixando bem claro que eu estava pondo a vida em perigo pela demora. Imediatamente comecei a trabalhar com meu instrutor para eliminar velhos padrões de ressentimento. Até aquela época eu desconhecia que guardava dentro de mim um profundo rancor. Como somos cegos aos nossos modelos mentais! Seria preciso um longo exercício de perdão. Outra coisa que fiz foi consultar um nutricionista para desintoxicar completamente meu organismo. Assim, cuidando da limpeza mental e física, em seis meses consegui mostrar aos médicos o que eu já sabia: eu não apresentava mais nenhum tipo de câncer. Ainda guardo o resultado dos primeiros exames, que deram positivo, para me recordar o quanto pude ser negativamente criativa.

O fato é que Louise Hau “transicionou”, mas seus ensinamentos e seu legado continuarão na Terra ajudando milhões de pessoas todos os anos a “curarem suas vidas”.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook