Movimento “PSDB esquerda pra valer” diz em nota que João Dória quis enganar a sociedade, com a reforma da previdência do funcionalismo

0

Entre muitas outras arbitrariedades, numa tentativa de jogar a opinião pública contra os servidores municipais, o governo João Dória lança no meio da crise uma campanha de publicidade veiculada em horário nobre na televisão com o único objetivo de enganar a sociedade sobre as reais motivações da proposta previdenciária e colocar o povo de São Paulo contra os trabalhadores, diz o documento

 

NOTA DO MOVIMENTO PSDB ESQUERDA PRA VALER aqui

“Nenhum Direito a menos”

O Movimento PSDB Esquerda Pra Valer vem a público manifestar seu repúdio ao projeto de lei 621/16, que altera as regras previdenciárias do funcionalismo público da cidade de São Paulo.

O referido projeto, apresentado no governo do ex-prefeito Fernando Haddad, já não havia sido levado ao plenário devido às inúmeras inconsistências em sua proposta original.

Subitamente, numa decisão irresponsável, o projeto volta à pauta na forma de um retalho de propostas formuladas sem embasamento técnico e marcado pela ausência do debate público com a sociedade e com os servidores.

A proposta defendia um aumento no desconto previdenciário do servidor, que hoje é de 11% para 14% e, em alguns casos, de até 19% de acordo com a faixa salarial do servidor. Na outra ponta, teríamos uma redução no valor recolhido pela Prefeitura, dos atuais 22% para 14%.

Mais uma vez, o governo demonstra sua inaptidão na gestão do erário, direcionando o prejuízo causado pela ineficiência pública para o bolso dos servidores municipais.

Vale ressaltar que o Tribunal de Contas do Município – órgão autônomo e fiscalizador da cidade de São Paulo – apontou diversas irregularidades e inconstitucionalidades no texto do projeto de lei 621/16.

Entre muitas outras arbitrariedades, numa tentativa de jogar a opinião pública contra os servidores municipais, o governo João Dória lança no meio da crise uma campanha de publicidade veiculada em horário nobre na televisão com o único objetivo de enganar a sociedade sobre as reais motivações da proposta previdenciária e colocar o povo de São Paulo contra os trabalhadores.

Sem diálogo ou qualquer tentativa de negociação por parte do governo, servidores de todas as áreas da prefeitura pararam em apoio à greve, numa das maiores mobilizações pelos direitos dos trabalhadores já presenciadas na cidade de São Paulo.

Envolvendo mais de 100 mil servidores e apoiadores presentes nos arredores da Câmara Municipal, a pressão gerou a retirada do projeto da pauta da casa legislativa por 120 dias.

SAIBA MAIS – Pressionado, governo Dória adia votação da reforma da previdência por 04 meses

Nesse contexto, nós, do Movimento PSDB Esquerda pra Valer, nos solidarizamos com a luta dos servidores municipais e pedimos a retirada definitiva e o arquivamento do projeto de lei 621/16.

Rechaçamos também todo tipo de violência estatal à livre manifestação, como a ocorrida no dia 15 de março dentro e fora da Câmara Municipal de São Paulo.

Lembramos a todos os membros e lideranças partidárias que em nosso manifesto de fundação, o apoio à luta dos trabalhadores sempre se estabeleceu como uma premissa fundamental, sendo designado como princípio e objetivo do PSDB: _apoiar as justas reivindicações dos trabalhadores, assegurada a livre negociação com sindicatos autônomos e os meios próprios de luta dos assalariados, inclusive a greve, sem interferência do Estado.

Jornalista e formado em ciência política pela UNESP, André Henrique já atuou como docente, assessor parlamentar e consultor político, mas é no jornalismo que o sociólogo se realiza profissionalmente, especialmente na editoria de política.

Comente no Facebook