O petróleo é a causa do interesse dos EUA na Venezuela, afirma economista

0

Por Cris Penha, economista

As pessoas deveriam se perguntar por que a Venezuela chama tanto a atenção da mídia ou de outros países? Estão realmente preocupados com as condições de vida do povo venezuelano, com a democracia por lá, com o crescimento e desenvolvimento daquela economia? Nossa mídia, por exemplo, que não está nem aí com os condições do povo brasileiro, com a nossa democracia e com o nosso desenvolvimento, vai se preocupar com a Venezuela? Essa mesma mídia apoiou a Ditadura aqui, apoiou esse Golpe de Estado que levou o Brasil ao caos. Países como Estados Unidos ou da Europa apoiaram diversas ditaduras ao longo da história, mas agora se preocupam com a situação da Venezuela?

A resposta é uma só: petróleo. Pra quem não sabe a Venezuela possuí muito petróleo. Mais do que qualquer outro país. Mais até que a Arábia Saudita, uma ditadura sanguinária apoiada pelos Estados Unidos. A Venezuela possuí 297,7 bilhões de barris de petróleo em reservas comprovadas, 12% a mais que a Arábia Saudita, segunda colocada, e 71% a mais que o Canadá, o 3º colocado. O Brasil chegou a 13ª posição após a descoberta do pré-sal. É tanto petróleo que a Venezuela possuí a gasolina mais barata do mundo: inacreditáveis US$ 0,01 centavo por litro. Com um litro de gasolina no Brasil é possível encher muitos tanques por lá. A Venezuela é o 10º maior exportador e a PDVSA é uma das maiores petrolíferas do planeta, com diversas subsidiárias como a CITGO, rede de postos em pleno EUA.

No caso brasileiro, a mídia tentou associar o que acontecia neste país com os governos do PT, simpatizante ao governo de esquerda por lá, que como aqui, promoveu diversas políticas sociais e resolveu controlar o petróleo, para desespero dos americanos, europeus e suas multinacionais. Sempre espalharam a ideia que o PT queria transformar o Brasil em Cuba ou Venezuela, mas quem transformou o Brasil em país de quarto mundo, subdesenvolvido, com milhares morrendo de fome, campeão da desigualdade e da violência, com 50 milhões de miseráveis, foi a direita que governou esse país até 2002 quando as coisas começaram a mudar pra agora retrocederem novamente.

Mas não vou entrar no mérito do que está acontecendo por lá, pois não conheço muito a política venezuelana e comentar o assunto com base nas opiniões da mídia paneleira daqui seria uma heresia. Ao que parece, aconteceu algo parecido com aqui: a direita não se conformou em perder o poder onde estava há décadas, não suportou políticas de distribuição de renda e de independência e se aproveitou da crise do preço do petróleo após 2008, do qual a Venezuela é muito dependente, pra sabotar a economia e tentar dar um golpe, sempre com apoio de Tio Sam, de olho na maior reserva de óleo do planeta. Só que lá a esquerda não é covarde como a nossa e boa parte das forças armadas é realmente nacionalista e não essa piada que temos aqui, onde Bolsonazi é o maior expoente, e que vê o país ser desmontado por políticas neoliberais entreguistas e simplesmente fica assistindo e ainda aceita fazer o papel de polícia no RJ. Espero que tenha ficado claro qual é o verdadeiro interesse por trás da crise que tomou a Venezuela.

Jornalista e formado em ciência política pela UNESP, André Henrique já atuou como docente, assessor parlamentar e consultor político, mas é no jornalismo que o sociólogo se realiza profissionalmente, especialmente na editoria de política.

Comente no Facebook