Quatro ministros do STF aparecem na gravação da JBS

0

Atenção: essas informações foram corrigidas, pois eram imprecisas. As citações aos ministros são superficiais e não demonstram prática de crimes, ao contrário do que o título sugere. Retificamos a informação aqui: https://goo.gl/mE75R8.

Por Rafael Bruza * com informações da revista Veja

A gravação da JBS obtida pela Procuradoria Geral da República supostamente envolve 4 ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), segundo a revista Veja. A descoberta dos áudios e a abertura de investigação do caso foram anunciados pelo procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, na noite desta segunda-feira (04). As gravações também sugerem que o ex-braço direito de Rodrigo Janot, o ex-procurador da República, Marcelo Miller, cometeu crimes. Ele é suspeito de trabalhar para a JBS enquanto integrava a Lava Jato.

Uma das menções a ministros do STF é considerada “gravíssima” pelos procuradores. Os ministros são citados na conversa entre Joesley Batista e Ricardo Saud, em “diferentes níveis de gravidade”.

Alguns trechos são banais, segundo informações da revista Veja, outro envolve um ministro de forma mais comprometedora. Nenhum nome foi revelado.

A expectativa é que o STF divulgue o conteúdo dos áudios nesta terça-feira (05).

Ministros reagem

Marco Aurélio Mello disse que Janot deveria revelar os nomes dos ministros envolvidos para não afetar a corte como um todo.

“As pessoas vão achar que todos os ministros e todos os procuradores estão envolvidos em atos ilícitos”, disse o ministro do STF

O ministro Luiz Fux disse que vê a existência de um movimento que busca “minimizar” a atuação dos juízes e afirmou que a “situação” atual levaria o país “ao naufrágio”.

Procurador sob suspeita

Joesley Batista e Ricardo Saud dão a entender na conversa que, mesmo no período em que auxiliava Janot na Lava Jato, Miller já trabalhava para a JBS.

Por terem omitido os episódios citados na conversa durante os depoimentos prestados como parte da delação premiada, os delatores poderão ter os benefícios do acordo cassados, conforme o próprio Rodrigo Janot anunciou no início da noite desta segunda-feira em Brasília.

Os dois delatores serão ouvidos novamente pela Procuradoria para explicar os episódios a que se referem na gravação.

 

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook