Quem será o plano B de Lula e do PT?

0

Por André Henrique

Para muitos, não há possibilidades jurídicas de Lula ser o candidato do PT à presidência da República em 2018 – Quem será o plano B do PT?

O preferido do ex-presidente Lula para eventualmente lhe substituir no PT para disputar a presidência da República é o ex-governador da Bahia Jacques Wagner.

Petistas dizem nos bastidores que Wagner dificilmente será candidato à presidência porque tem vaga garantida no Senado, pela Bahia.

A Operação Cartão Vermelho, da PF, prejudicou o vôo nacional de Wagner. Os petistas temem os desdobramentos da Operação, nos próximos meses.

Outro nome que surge é o do ex-chanceler e ex-ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim.

Pesam favoráveis os fatos de Amorim passar ao largo de denúncias de corrupção e ser um quadro político respeitável dentro e fora do Brasil.

Mas existe a avaliação de que Amorim é um quadro excessivamente técnico e com discurso rebuscado. Ele não seria palatável, para o eleitorado.

Vai daí que crescem os movimentos em prol da candidatura de Fernando Haddad. Alas fortíssimas do PT tentam convencer Lula de que o ex-prefeito boa pinta de São Paulo tem de ser o plano B.

Entretanto, fala-se na dobradinha paulista entre Fernando Haddad e Eduardo Suplicy. O primeiro para o governo estadual e o segundo para o senado. A dupla é considerada leve para garantir um palanque forte ao PT no maior estado da federação.

Para a dobradinha se concretizar, Luiz Marinho teria de ser removido de concorrer ao Palácio dos Bandeirantes. O ex-prefeito de São Bernardo do Campo aparece nas pesquisas no patamar dos 5%. Haddad surge na faixa dos 13%, e tem o recall da prefeitura de São Paulo. (dados do Paraná Pesquisas aqui)

Lula disse em entrevista à Folha nessa semana que só deixará de ser pré-candidato à presidência quando for definitivamente impedido pela justiça eleitoral, antes disso, o ex-presidente disse que lutará até o fim (mais da entrevista clique aqui e aqui) para ser candidato.

Nota: 

Os petistas murmuram contra a Polícia Federal por causa de ações de buscas e apreensões contra petistas, aventados para disputar a presidência da República, que seriam “espetacularizadas” pela imprensa. Está em voga o caso que o Ministério Público suíço mandou documentos e extratos de contas bancárias que seriam de Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, ex-operador financeiro do PSDB e ex-diretor da Dersa durante o governo José Serra em São Paulo (2007 a 2010). Paulo Preto teria mais de 100 milhões em paraísos fiscais francos suíços. O senador José Serra afirma não ter relação com o caso aqui. Os petistas alegam que contra o PSDB não acontecem espetáculos midiáticos e policiais tal qual com Jacques Wagner e outros componentes do partido.

Jornalista e formado em ciência política pela UNESP, André Henrique já atuou como docente, assessor parlamentar e consultor político, mas é no jornalismo que o sociólogo se realiza profissionalmente, especialmente na editoria de política.

Comente no Facebook