Título do jornal O Globo conduz leitor a conclusão distorcida

0

Estudo que compara Bolsa Família com educação pública como mecanismos para reduzir desigualdade social induz leitor a escolher a educação pública

Análise – Por Rafael Bruza

Captura da matéria do jornal O Globo

Nesta segunda-feira (02), o jornal O Globo publicou uma matéria com o título: “Escola Gratuita é mais eficaz contra desigualdade que Bolsa Família, mostra estudo”. O estudo, feito pelo ex-presidente do Ipea, Sergei Soares, se concentra em analisar o papel da educação na redução da desigualdade social. Entre várias informações importantes, diz que a educação é a política mais importante para reduzir a desigualdade. Soa bonito. Mas o título do Globo seleciona um pedaço do estudo, que mostra a eficácia da educação comparada ao Bolsa Família, e publica essa comparação como se fosse síntese de todas as conclusões.

O leitor médio do jornal – naturalmente contrário ao Bolsa Família – lê o título e obviamente adora: “educação é melhor que Bolsa Família! Vou compartilhar”.

Com isso, O Globo ganha compartilhamentos e cliques. Mas muitos não veem que o estudo mostra ambas as políticas como mecanismos que reduzem a desigualdade social, pois uma medida não exclui à outra – na verdade elas se completam.

Apesar de críticas expostas em algumas pesquisas, o programa do Bolsa Família já foi apontado como um elemento “importante”  na redução da desigualdade social.

Em maio de 2015, um relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) apontou que políticas sociais como o Bolsa Família e o Brasil Sem Miséria tiveram um papel importante na redução da miséria do país.

Se as duas políticas funcionam, o Governo deve investir em ambas, oras, ao invés de excluir uma das políticas por conta de pressões políticas distorcidas.

E a imprensa, nesse sentido, tem a função de mostrar este tipo de realidade sobre o programa, ao invés de dizer o que sua audiência quer ouvir – algo que, convenhamos, já é feito de forma excessiva por sites tradicionalmente caça-cliques.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook