TV Gazeta contrata Geraldo Alckmin, meses após demitir dezenas de jornalistas

0

Em novembro, a emissora anunciou a demissão de 80 funcionários para “equalizar suas despesas à realidade das receitas do momento”

Por Rafael Bruza

A coluna de Flavio Ricco no UOL informa nesta terça-feira (26) que o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), assinou contrato para ser um dos participantes do “Todo Seu”, comandado por Ronnie Von. A contratação ocorre quatro meses depois que a TV Gazeta reduziu sua equipe de jornalismo e demitiu 80 funcionários – sendo 30 jornalistas.

De acordo com a Gazeta, a formação de Alckmin em medicina e a experiência do ex-governador como gestor público levarão ao telespectador do “Todo Seu” informações relacionadas à saúde e à qualidade de vida.

“Serão abordados temas como o impacto do stress na vida da população, a importância da alimentação saudável, atividades físicas, utilização de métodos naturais na rotina – ou seja, informações, sugestões e recomendações para que o cotidiano das pessoas seja mais saudável”, diz a coluna de Flavio Ricco.

Alckmin tem graduação em medicina pela Universidade de Taubaté e é especializado em anestesiologia pelo Hospital do Servidor do Estado de São Paulo.

Demissões de jornalistas

Em novembro do ano passado, a Gazeta anunciou uma redução em sua equipe de jornalismo, que passou a contar com apenas 14 profissionais, após demissões de 80 funcionários.

Entre os jornalistas demitidos estavam Rodolpho Gamberini, Bob Fernandes e o diretor Dácio Nitrini, além de pessoal técnico, administrativo, editores, produtores, repórteres, apresentadores e comentarista.

A entidade justificou a medida como necessária para “equalizar suas despesas à realidade das receitas do momento”.

As demissões ocorreram em um momento em que a Igreja Universal – fundada pelo bispo Edir Macedo – havia voltado a comprar horários na grade de programação da emissora.

Com isso, jornalistas especularam nos bastidores se alguma pressão da Universal poderia relação com as demissões.

Não foram confirmadas informações sobre eventuais pressões. No final de novembro, Edir Macedo declarou apoio a Jair Bolsonaro. Veículos da emissora passaram a defender o então candidato, a partir disto, segundo um jornalista anônimo do portal R7.

O jornalista explicou em entrevista ao The Intercept Brasil que o bispo Edir Macedo inicialmente apoiava Geraldo Alckmin, mas mudou de posição a favor de Bolsonaro, no final de setembro, e começou a fazer “jogo” sujo” a favor do militar.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook