TV Gazeta demite 80 funcionários e reduz equipe de jornalismo em SP

0

Entre os 30 jornalistas demitidos estão o apresentador Rodolpho Gamberini e o comentarista Bob Fernandes. Especula-se se contratos com a Igreja Universal, do bispo Edir Macedo, têm relação com as demissões.

Por Rafael Bruza

o apresentador Rodolpho Gamberini e o comentarista Bob Fernandes, demitidos da TV Gazeta

A Fundação Cásper Líbero, mantenedora da TV Gazeta de São Paulo, demitiu 80 funcionários – sendo 30 jornalistas – na manhã da última segunda-feira (05). Entre os demitidos estão Rodolpho Gamberini, Bob Fernandes e o diretor Dácio Nitrini, além de pessoal técnico, administrativo, editores, produtores, repórteres, apresentadores e comentarista. Permaneceram apenas 14 profissionais na equipe de jornalismo.

A entidade justificou a medida como necessária para “equalizar suas despesas à realidade das receitas do momento”.

As demissões ocorrem em um momento em que a Igreja Universal – fundada pelo bispo Edir Macedo, que apoia o presidente eleito, Jair Bolsonaro – voltou a comprar horários na grade de programação da emissora.

O contrato com a igreja subsidiava parte do jornalismo da Gazeta e venceu no final de setembro, o que tecnicamente extinguiu a fonte de recursos, segundo o Portal dos Jornalistas. Mas no início de novembro, sem aviso prévio, a Universal voltou a ocupar os mesmos horários de antes: das 6h às 7h e das 20h às 22 horas. Os valores dessa negociação não são conhecidos.

Com isso, jornalistas especulam nos bastidores se alguma pressão da Universal poderia relação com as demissões – o comentarista Bob Fernandes, por exemplo, é conhecido por ter posturas contrárias ao presidente eleito, Jair Bolsonaro.

O bispo Edir Macedo, a sua vez, já usou sua influência para alinhar o jornalismo do Grupo Record – do qual é dono – com os objetivos de Bolsonaro, como revelou um jornalista do portal R7, o principal site do conglomerado – veja abaixo.

Demitidos da Gazetas

Segundo J&Cia apurou, além de Dácio, saíram o chefe de Redação Wagner Kotsura, o editor-chefe Sérgio Galvão, a chefe de produção e reportagem Juliana Kunc Dantas, as produtoras Laísa Dall’Agnol e Paula Forster, a estagiária de produção Isabela Gomes, os editores de texto Rodrigo RodriguesGabriela ForteIone VelosoAline AlhadasRegiane Stella Jouclas e Marcelle Sansão, a responsável por rede Suellen Fontoura,  os repórteres Vinícius MarraSabrina PiresCarla Rodeiro e Mariana D’Angelo (que havia saído do Departamento de Mídias Sociais da Fundação e conseguiu voltar), os apresentadores Gabriel CruzStella Gontijo e Rodolpho Gamberini (que estava em Paris), os produtores de switcher Paulo Camilo Silva e Natália Gallego, e os comentaristas Vinícius Torres FreireJoão Batista NataliJosé Nêummanne PintoDenise Campos de ToledoBob Fernandes e Joseval Peixoto, recentemente contratado.

Caio Canavieira e Bárbara Fava não haviam sido demitidos, mas decidiram sair, o que permitiu a readmissão de dois dos que haviam sido cortados.

Parte dos demitidos e dos que ficaram confraternizam na rua, com o prédio da Gazeta ao fundo: “Noiz tá sorrindo assim mas precisa de emprego, tá?”

Permanecem na emissora a editora executiva Valeska Stanczik, a subchefe de reportagem Lígia Neves (readmitida), os produtores Igor Franca (readmitido) e Caroline Machado, o estagiário de produção Fernando Oda, os editores de texto Rodrigo Oliveira e Kátia Gonzaga, o produtor de switcher Felipe, os apresentadores Luciana MagalhãesMariana Armentano e Tássia Sena, os repórteres Luciano Penteado e Fernanda Azevedo, e o comentarista em Brasília Josias de Souza.

Procurada por J&Cia, a Fundação Cásper Líbero limitou-se a enviar uma nota informando que “está promovendo uma reestruturação interna, com o objetivo de equalizar suas despesas à realidade das receitas do momento e, com isso, preservar seu equilíbrio financeiro e manter os resultados econômicos administráveis. Essa reestruturação tem foco prioritário na TV Gazeta, devido à situação macroeconômica, cujos efeitos têm atingido continuamente o setor de comunicações, com uma forte retração no mercado publicitário”. E prossegue: “O impacto dessa decisão na TV Gazeta inclui a redução substancial da Central de Jornalismo, área que demanda subsídio majoritário da Fundação Cásper Líbero, incompatível com as possibilidades do momento, além de outras reduções em pessoal, colaboradores e contratos de terceiros. Na programação, serão cancelados os boletins jornalísticos exibidos durante os programas femininos e o Jornal da Gazeta Edição das Dez. A TV Gazeta informa que seus planos são incrementar a produção de jornalismo o mais breve possível, tão logo a situação econômica permita, com o devido apoio do mercado publicitário”.

Jornalista formado em Madri, retornou ao Brasil em 2013 para lançar um meio de comunicação próprio. Idealizou, projetou e lançou o Indepedente em fevereiro de 2016. Acredita que o futuro do mundo está dentro de cada um de nós e trabalha para que as pessoas tenham uma visão realista, objetiva e construtiva do planeta Terra.

Facebook Twitter LinkedIn 

Comente no Facebook